Marketing Digital em 2020 na contramão do coronavírus na quarentena

marketing digital durante a quarentena

O cenário da quarentena do coronavírus foi devastador para diversas empresas em 2020. O vírus não perdoou ninguém que possui loja física, sejam microempresas ou até mesmo grandes empresários.

Diversas lojas e estabelecimentos precisaram fechar por não terem caixas suficientes para suportar a época de quarentena, que foi um tanto quanto inesperada.

Um estudo do Sebrae mostrou que “mais de 600 mil empresas vão quebrar e mais de 9 milhões de funcionários já foram demitidos”. Este cenário tende a piorar muito no decorrer do Coronavírus.

Em contrapartida, lojas e empresas que estão na Internet surfaram na contramão e aumentaram as suas vendas expressivamente. Milhares de brasileiros que nunca haviam feito compras pela internet fizeram compras online pela primeira vez em suas vidas.

E-commerces, cursos online e até serviços de entrega nas próprias regiões mostraram um aumento de rendimento e andam à parte desta crise financeira do novo coronavírus.

Fazer negócios online deixou de ser algo inovador e passou a ser uma questão de sobrevivência. Até empresas com anos de fundação e sucesso tiveram que se adaptar ao universo do Marketing Digital para conseguirem sobreviver.

Notou-se um aumento expressivo de pessoas que se matricularam em Cursos de Marketing Digital para trabalhar como afiliado – Esta nova profissão que seria como um representante comercial que vende um produto na Internet, seja um produto físico ou produto digital.

Hoje o curso de marketing digital com mais tempo de estrada e que mais forma alunos no Brasil é o FNO do Alex Vargas. Veja este depoimento de um aluno relatando se o Fórmula Negócio Online funciona.

Como funciona cada uma destas modalidades:

E-commerces

E-commerces são lojas que não possui estabelecimento físico. Elas se posicionam na internet com a sua marca através das redes sociais e podem vender para todo o Brasil através dos serviços de entregas.

As lojas virtuais também podem vender através dos grandes Marketplaces, como exemplo: Mercado Livre, Amazon, B2W, entre outros.

A entrega dos produtos é feita pelos serviços dos correios ou através de transportadoras particulares. Existe até mesmo quem trabalha sem estoque físico em suas lojas virtuais, trabalhando como um intercessor, apenas encomendando o produto do seu fornecedor ao cliente final.

Esta prática de lojas venderem sem precisar de estoque ficou bem conhecida nos últimos tempos e é chamada de Dropshipping, que pode ser Dropshipping Nacional, aonde o estoque fica no Brasil, ou Dropshipping Internacional, aonde o estoque fica em outros países fornecedores com preço melhores.

Também há a possibilidade de se criar o seu próprio site e colocar o seu catálogo de produtos em sua vitrine. Mas é necessário entender de Estratégias de Marketing Digital para atrair visitas no seu site e consequentemente fazer as suas vendas.

O que possibilitou esta prática acontecer foi a criação de gateways de pagamento, como Mercado Pago e PagSeguro. Eles garantem a segurança do comprador e do vendedor na transação online.

Estes gateways só entregam o dinheiro à loja quando o cliente reporta que o produto já chegou em sua casa. Caso por algum motivo o produto não chegue ou há algum problema, o cliente consegue ter o seu dinheiro de volta.

Cursos Online

Diversos profissionais criaram seus cursos online para continuarem o seu trabalho em época de coronavírus. Funciona da seguinte maneira: São preparados vídeos com módulos, aonde o profissional ensina uma técnica ou alguma habilidade, como exemplo: Profissionais fitness que ensinam a fazer o seu próprio treino em casa. Ou nutricionista, que ensina como se alimentar corretamente.

Esta prática é altamente escalável, pois você também consegue vender o mesmo curso para todo o Brasil.

Serviços de Entrega

Serviços como iFood e anúncios nas redes sociais foram uma solução para a sobrevivência da crise em época de quarentena. Serviços de alimentação ou outros setores que hoje não estão realizando entrega podem correr um grande risco de ver os seus negócios caírem por água abaixo.

1 comentário em “Marketing Digital em 2020 na contramão do coronavírus na quarentena”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *